domingo, 1 de julho de 2007

#52 - Il Padrino/Marlon Brando

"I'll make an offer he can't refuse."

Don Vito era O Cara. O soberbo mafioso interpretado por Marlon Brando não poderia nunca deixar de ter aquele discreto porém implacável bigode no rosto, um aviso a seus oponentes de que Vito tinha caráter e palavra - além de capangas fortemente armados.

Quando fez o papel de Don Corleone, talvez Brando não suspeitasse do impacto cultural que sua figura como manda-chuva do crime teria na sociedade. Brando fez inúmeros papéis, chegou a ser Jor-El, pai de Kal-El, encarnou os horrores da guerra em seu Colonel Kurtz, mas foi como Vincenzo que sua imagem virou ícone.

Vencedor do Oscar por sua atuação como Don Corleone, "Brando não compareceu à cerimônia de entrega e enviou no seu lugar a [suposta] índia Sacheem Littlefeather, na verdade uma atriz hispânica, para manifestar ao público o descontentamento com a forma como Hollywood tratava os nativos americanos" (Créditos para a Folha Online).

Seu Don Vito era homem de hábitos simples e palavra feroz. Não fosse por ele, talvez Scorsese jamais poderia começar um filme (Goodfellas, 1990) com o monólogo "Since I remember, I always wanted to be a gangster".

"Keep your friends close, and your enemies closer."


4 comentários:

godo disse...

Inclusive o primeiro grande elemento visual que aparece na tela do filme é um senhor bigodaço à la italiana.

Anônimo disse...

"you come to me with money..."

bigode é princípio.

Victor

graziipa disse...

Logo me chegam imagens de Corleone pai sendo reverenciado com respeitosos beijos na mão e a musiquinha Tanã nãnã nãnã nãnã nãnã nãnãããã.

Auguri, BigoDon Corleone. Auguri!

Eduardo Rodrigues disse...

E no dia que o post é sobre O Poderoso Chefão, nós recebemos a primeira visita de Cuba.

Isso é ou não é conspiração da CIA?