quinta-feira, 31 de maio de 2007

#25 - Como já dizia Jorge Maravilha



O Fabio Gomes fala lá no site "Brasileirinho" que Chico aparece com bigode na capa de seis LPs: Construção, 1971; Caetano e Chico Juntos e ao Vivo, 1972; Chico Canta, 1973; Sinal Fechado, 1974; Chico Buarque e Maria Bethânia ao Vivo, 1975; e Meus Caros Amigos, 1976.

Depois de nos explicar como foi difícil aquela época da ditadura para os artistas brasileiros, Fabio se sai com a seguinte teoria: "Acredito que Chico o usou (o bigode) nesse período de repressão como uma alusão à Censura. O bigode representaria uma tarja sobre sua boca, uma tentativa de silenciá-lo. Basta ver que, no disco de 1978 (intitulado apenas Chico Buarque), em que ele pôde gravar até "Apesar de Você", ele já está sem bigode - para sempre."

Eu tenho uma grande tendência a acreditar em teorias absurdas, e adorei essa daí. Mas e aí, Chico, é isso mesmo?

Esquenta pro show:


Essa não tá no show, a versão com os Trapalhões é melhor,
mas o que importa, o bigode, está lá:

E Chico, canta essa hoje, bicho:

Sábado tem feijoada da Portela, vejo vocês lá

Que fase, hein!

3 comentários:

godo disse...

ÍDALO! O único cara pra quem eu pediria autógrafo caso chegasse em casa mais cedo e minha mulher tivesse dando pra ele.

nandi disse...

Chico... Chico...!!
*suspiro!

Fabio Gomes disse...

Opa, valeu a menção a meu texto e à minha teoria absurda. Se puderem/ quiserem, atualizem o link, já que o Brasileirinho saiu do ar. O texto sobre o bigode foi incorporado a esta série que publiquei por ocasião dos 70 anos do Chico - "Especial Chico Buarque 70 Anos (1): Bigode, censura e ditadura" (https://vamosfalar-jornalismocultural.blogspot.com.br/2014/06/especial-chico-buarque-70-anos-1-bigode.html). Abração!