sábado, 26 de maio de 2007

#19 - Richard Starkey


Econômico. Preciso. Discreto. Simpático. Os elogios ao bateirista da segunda maior banda da história do rock raramente saem dessa esfera, quando são elogios que acompanham o nome de Ringo Starr, que no Brasil, seria Rico Estrella. Injustiça! Ringo era o único rockstar de verdade da banda que serviu de pretexto para os Stones se tornarem os maiores.

Como bom rockstar, Ringo tirava ótimas fotos, catava altas mulheres, tomava altas drogas e tinha coisa mais interessante pra fazer do que - por exemplo - casar com um trubufu oriental, fazer versão de música do Marcelo Camelo ou ser decapitado num acidente automobilístico bizarro.

Ringo teve a genialidade de antecipar o movimento punk e a grandeza de espírito de nunca querer os devidos méritos. Ao perceber que o bateirista da quase maior banda de rock que houve era um cara comum, com senso de oportunidade para estar na banda e nenhuma virtuose, vários jovens mais tardes seguiram a estrada aberta pelo genial bigode dos Fab Four.

Ringo ainda ganha pontos por não ser um Beatle "original de fábrica". Seu precursor na banda, Pete Best, foi chutado antes da fama porque alguém na gravadora percebeu que Ringo era muito mais gato! E olha que na época ele nem tinha esse bigode maroto da foto!

5 comentários:

Bean disse...

hahaha
adorei a idéia!
vou fazer merchan no blog.

Eduardo Rodrigues disse...

O Ringo era a argamassa que mantinha os Beatles juntos. O único dos quatro com quee você sentaria para tomar uma Antartica Original, ou até mesmo um Catena Alta Malbec 2002.

Mila disse...

hauhauhauahuhauhauahhahahauhua

Anônimo disse...

detesto stones!!blarrgh! cópia mal feita dos beatles...já deviam ter se aposentado

Eduardo Rodrigues disse...

Tipo de coisa que só se diz anônimo! >:-p