sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

#154 - Alberto Santos Dumont


Falar do brasileiro Alberto Santos Dumont é falar de um homem que esteve sempre em busca de algo maior que a vida. Só uma coisa esteve sempre a frente dele durante sua existência - seu bigode.

Durante sua existência, o brilhante Albertinho jamais se conformou com fatos corriqueiros. O que o homem comum aceitava como hábitos, Santos Dumont encarava como desafios.

Nascido em Barbacena, interior mineiro, Santos Dumont faturou uma bolada de herança e foi estudar engenharia em Paris. Logo se interessou por experimentos aeronáuticos extremos, sem apelar balões mais leves que o ar!

Em sua busca pela dirigibilidade no ar, Dumont chegou a encarar a morte de frente, mas sempre com dignidade. Veja o impressionante relato de uma de suas tentativas de içar vôo num dirigível de sua própria manufatura que havia dado pau a 400 metros do chão: "“A descida efetuava-se com a velocidade de 4 a 5 m/s. Ter-me-ia sido fatal, se eu não tivesse tido a presença de espírito de dizer aos passantes espontaneamente suspensos ao cabo pendente como um verdadeiro cacho humano, que puxassem o cabo na direção oposta à do vento. Graças a essa manobra, diminuiu a velocidade da queda, evitando assim a maior violência do choque. Variei desse modo o meu divertimento: subi num balão e desci numa pipa.”

Sua primeira façanha nos ares foi a construção e pilotagem duma aeronave capaz de percorrer 11 km em 1/2 hora, contornando a Torre Eiffel. Mas ele não se deixou seduzir pela glória banal de ganhar o reconhecimento do Aeroclube da França, ser considerado o Pelé dos aeronautas e ter inventado o dirigível. Ele continuou suas pesquisas até que no dia 23 de outubro de 1906 o masta-pimp dos céus levantou no ar o 14-Bis, primeira aeronave a sair do chão por seu próprio esforço e ainda por cima sendo mais pesado que o ar!

Daí em diante, a vida do genial voador entrou numa espiral dramática! Acometido por uma esclerose múltipla, se afastou dos inventos aéreos e da vida social. Os anos trataram de transformar os aeroplanos em máquinas de guerra, o que lhe causava profunda depressão. A visão de aviões bombardeando São Paulo durante a Revolução Constitucionalista de 32 o levou ao suicício.

Mas não foi apenas o avião e o dirigível que foram inventados por Alberto! Ele inventou ainda o relógio de pulso, a homossexualidade brasileira pós-moderna, o Led Zeppelin e o suicídio de resultados! E ainda por cima foi eleito para a Academia Brasileira de Letras! Isso pra não mencionar que Tom Cruise deve muito de sua carreira a nosso inventor!

Com este autêntico ídolo de bigode, seu blog favorito encerra as atividades de 2007. Aos bigodudos e bigodudas, muitas estimas de um feliz natal e um 2008 nietzscheano!

2 comentários:

Anônimo disse...

Um bigode a frente de seu tempo!

Victor

Hagen disse...

Ele ainda criou um esquema de aquecimento da agua a alcool. Tem la no chuverinho dele da casa em petropolis, enquanto malandro tinha que tomar banho de balde pra nao gelar o bigode, ele ja tinha um moderno sistema de aquecimento em seu banheiro.