quarta-feira, 26 de setembro de 2007

#119 - No início, havia o bigode

As imagens são raras. Os registros fotográficos, perdidos. Mas no início da caminhada rumo ao poder do filho pródigo de Caetés, havia lá o impávido e resistente bigode.

Numa época em que as palavras valiam mais que cuecas, que o punho se fechava e erguia-se diante do opressor, que os braços se cruzavam coletivamente, que o Coringão penava mas não freqüentava as páginas policiais, Luis Inácio, torneiro mecânico, líder sindical, homem do diálogo, honrava a brava gente brasileira com seu bigode rebelde!
Porém o tempo é implacável e logo atrás, ao olharmos a história, podemos perceber que para Lula, assim como o bigode jamais seria o bastante, o reconhecimento de seus companheiros de luta também não. Lula quer o mundo, o infinito, o inolvidável. E logo de seu bigode cultivou hirsuta barba.

3 comentários:

Bigode Justiceiro disse...

Se nosso presidente usasse apenas bigode, talvez a Veja e a Globo não tivessem de demonstrar tanto ódio contra ele.

Defunto Autor disse...

Não teriam coragem, isso sim!

Anônimo disse...

Talvez não tivessem motivos....infelizmente a retidão moral do bigode do filho querido de Guaranhuns ficou emaranhada (e-maranhão?!?)em meio a barba crescente e outros pelos mais "cabeludos".