sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

#164 - Clapton is God

Eric Clapton é um filho da puta. Lá entre os anos 60 e 70, Clapton, abarrotado de grana, cheio de mulher e cercado de neuras pessoais resolveu gastar tudo em loló. O guitarrista mais sinistro em ação depois do Divino entrou numa onda errada de misturar groupies com bebedeiras e tudo que era tipo de droga que se achasse na Swingin' London - e creiam-me, achava-se muita doideira naquele local.

Clapton, Eric Patrick Clapton, filho de um romance casual da 2ª Guerra Mundial, só queria tocar o melhor blues possível. Em sua busca pelo acorde definitivo, ele acabou achando outras paragens - a mais famosa delas loira e casada com um parceirão dele, Pattie Boyd, excelentíssima de George Harrison!

Em sua sagaz autobiografia, o bonitão conta como Harrison fazia de tudo para tirá-lo daquela bad trip constante e ele retribuía com um belo par de chifres e eventuais solos de guitarra. Aquela guitarra que você já deve ter ouvido em "While My Guitar Gently Weeps" é dele.

Harrison não só o convidou para tocar numa das faixas mais populares do White Album como mais tarde, o convidou para tomar parte de sua mega-banda no Concerto para Bangladesh, para que Clapton e seu maroto mustache voltassem a lembrar que eram os fodões diante de seis cordas.

Pois bem, durante todo esse tempo, Clapton dava em cima da mulher de Georgie na maior cara-dura, o verdadeiro sufocador! Fissurado na mulher do próximo, Clapton gravou junto de sua banda Derek and The Dominoes o lendário álbum Layla And Other Assorted Love Songs, onde figura a sua mais famosa composição - Layla. Pois Layla e seus versos do naipe de "You've been running and hiding much too long. You know it's just your foolish pride." (Você já fugiu e se escondeu demais. E você sabe que é apenas o seu orgulho tolo.) foi feita pra mulher de Harrison!

Após anos de idéia errada, Pattie Boyd finalmente largou Harrison e foi para os braços de Eric. Conta-se que o beatle corneado e abandonado ficou péssimo, mas jamais largou a amizade de Clapton.

Abaixo, a famosa pixação que apareceu nos subúrbios londrinos após Clapton se juntar a John Mayall e seus Bluesbreakers, lá por 64/65.

Um comentário:

Bigode Justiceiro disse...

é verdade! Clapton é tudo isso mermo, além de ter um dos melhores bigodões... faltava ele!